Vou confessar que esse post desenterrei do meu antigo blog. Mas o flickr ainda é maravilhoso e decidi revivê-lo aqui. Como consegui uma entrevista com ela, achei legal compartilhar por aqui do jeitinho que fiz em 2012 no meu outro blog. Espero que aproveitem e se inspirem.
Em um dia de tédio qualquer, por acaso, descobri um flickr muito legal e resolvi compartilhar com vocês.
 
Pra falar a verdade pensei que fosse um flickr gringo, pela criatividade e identidade das fotos (coisa difícil de encontrar em flickrs brasileiros), só fui me tocar que era brasileiro pela foto de um livro (o menino do pijama listrado), daí fui conferir e vi que era brasileiro mesmo. Fiquei super feliz!
 
Enfim, a dona do flickr é a Mariana Lima, fotografa e super estilosa, rs.
 
Aproveitando a oportunidade, consegui fazer umas perguntinhas para Mariana, vamos conferir?
 
1 – Quando e/ou como você descobriu o amor pela fotografia?
Sei que parece simples responder, mas não sei dizer direito quando descobri que realmente gostava de fotografia, mas tenho minhas suspeitas de que seja quando eu era bem novinha. Aos 4 anos tirei uma foto do por do sol no mirante de um parque e aquela foto chamou muito a atenção dos meus pais. Com o tempo eles viram que eu tinha jeito com a câmera e me presentearam com uma Yashica. Por sempre receber elogios eu fotografava cada vez mais e sempre que meu pai comprava uma câmera nova eu pegava a outra pra mim e usava, nunca mais parei. A satisfação de fazer algo que agradava as pessoas e receber elogios por isso me fazia ter cada vez mais vontade de fotografar. Acredito que tenha sido nessa época que eu, sem perceber, descobri como a fotografia era algo importante pra mim.
 
2 – Onde você tira inspiração para suas fotos?
Gosto muito de navegar pelo flickr e outros sites de fotos, gosto muito de ver livros de fotografia e revistas, mas creio que a maior inspiração é o que está dentro de mim. Eu sempre fui muito sozinha, nunca fui daquelas crianças que brincavam nos parquinhos com as outras, faziam grupinhos e se divertiam. Minha inspiração vem na maioria das vezes de algo que eu quero dizer ou de algo que estou sentindo. Por não ter com quem conversar na maioria das vezes e por não gostar muito de escrever (nunca tive um diário ahahhaha) vi a fotografia como uma forma de por pra fora o que eu sentia. É claro que muitas vezes os lugares ajudam, as pessoas também, mas na maioria é a partir da vontade de me expressar. 
 
3 – Você criou um estilo só seu de fotografia, tem alguma dica para quem ainda está buscando o próprio estilo fotográfico?
Em minha opinião, se alguém quer ter um estilo próprio de fotografia, precisa se dispor a duas coisas: a primeira é ver o trabalho das outras pessoas e aceita-las como algo que pode te acrescentar de várias formas. Ver muitas fotos, de muitas pessoas e quanto mais diferente melhor. Aquela coisa de pegar sua foto favorita no flickr, ver as outras fotos daquela pessoa, ver os favoritos dela, ver as fotos das pessoas favoritas e por aí vai. Ver muitos livros de fotografia e revistas que tenham conteúdo bom para inspirar. A segunda coisa é experimentar. Deixar um pouco de lado o que os livros mais técnicos e os cursos dizem, questionar o porquê das coisas e experimentar maneiras diferentes. Se um livro diz que em determinado local a abertura deve ser tal e a velocidade tal, por que não testar algo diferente? E se eu gostar de mostrar as coisas mais estouradas? Ou mais escuras? Seria fazer com que a câmera pense da forma com que você pensa, não da forma com que uma maquina criada apenas para reproduzir iria pensar.
 
4 – Para terminar, indica dois de seus flickrs favoritos?
Claro! O primeiro de todos é o Sparth, um fotógrafo francês chamado Nicolas que vive em Seattle. As fotos dele dispensam explicações, o olhar dele é maravilhoso e boa parte de suas fotos são analógicas.
http://www.flickr.com/photos/sparth/7860236648
O outro é chamado Sprinkle Happiness. Uma americana de 17 anos que faz as fotos mais maravilhosas de cachorros. Admiro muito, porque, pessoalmente, acho animais algo bem complicado de se fotografar. Não adianta você dizer “para aí e sorri pra mim!”. http://www.flickr.com/photos/jessicachuppy/7723105650/in/photostream
Legal né?
Para quem quiser conferir e conhecer um pouco mais da Mari, ai está os seus contatos:
Todas as imagens do post são dela, foi difícil escolher as que eu mais gostei, mesmo! 
Espero que tenham gostado da dica, até a próxima 😉